Retrospectiva de 2014

Estamos em 2015, o número muda mas a vida continua a mesma se não lutarmos por aquilo que pretendemos alcançar, esta foi uma das lições que aprendi em 2014.
Posso assumir que ano ano que terminou marcou-me imenso, não me tornei milionário, não encontrei nenhuma alma gémea, nem viajei para um destino exótico e etc. Foi o ano em que me consegui tornar em quem realmente sou, em que descobri o meu valor e o respetivo que cada pessoa do meu círculo de amizades tem na minha vida. Comecei 2014 sem nenhuns objetivos, o único plano na minha mente era desfrutar ao máximo cada oportunidade que surgisse na minha vida e foi isso que eu fiz em cada dia do ano.

Ignorem a foto, só a publiquei para o post não ficar bastante vazio mas também a escolhi por ter sido tirada no verão, a minha época favorita do ano… Ok, voltando ao essencial, não vou encher este post com muitos pensamentos, citações ou reflexões do meu ano porque provavelmente não tem nenhum interesse para vocês.
Em 2014 vivi imensas situações, algumas boas, outras magníficas e algumas más, conheci imensa gente nova, criei novas amizades, aprofundei algumas relações e coloquei um ponto final noutras, perdi alguma timidez e fortaleci a minha personalidade através do lema “não sou mais do que os outros mas ninguém é mais do que eu”, é incrível como a minha personalidade mudou imenso durante um ano, assumo que sou praticamente o oposto daquilo que era até 2013. Cresci como ser, aprendi a gostar de mim próprio e acima de tudo a ser livre, todos nós devemos ser livres e fazer tudo aquilo que nos apeteça desde que o nosso padrão de liberdade não interfira na liberdade dos outros. Fugindo ligeiramente ao tom do post, quero revelar que o meu estágio universitário relacionado com cidadãos toxicodependentes, alcoólico e sem-abrigos também me ajudou a evoluir um pouco conseguindo abrir a minha mente com a vontade de respeitar e de ajudar os outros.
Não me irei esquecer de ter visto os meus dois ídolos da música ao vivo, Miley Cyrus e Skrillex, o concerto da primeira foi fantástico, é impossível arrepender-me das longas horas na fila à espera que as portas do MEO Arena abrissem, durante esse tempo conheci imensos fãs que partilhavam comigo o mesmo interesse pela artista pop, assim como não me arrependo de estar a morrer esmagado na linha da frente e do meu esforço ser recompensado com um beijo de uma das suas bailarinas, de um pequeno diálogo com a mãe da Miley e de ser vítima de uma espécie de assalto quando a Noah Cyrus roubou a minha máquina fotográfica para tirar uma selfie. É de facto impossível esquecer-me desse dia, das pessoas que conheci antes e depois do concerto, do espetáculo e da sensação de observar um dos nossos artistas favoritos a poucos metros de distância de nós.
Quanto ao concerto do Skrillex no Festival MEO Marés Vivas foi bem diferente daquilo que eu esperava, inicialmente pensava que iria sozinho mas consegui a companhia de 2 grandes amigos, as minhas expetativas estavam um pouco baixas pois este famoso DJ mudou um pouco com o tempo, porém aquilo foi tão LOUCO e INSANO, recordo-me de chover torrencialmente em Vila Nova de Gaia, abriguei-me numa tenda da redbull, não podia molhar-me porque tinha acabado de me livrar de uma gripe horrível, longe dali ouvia os fãs a gritarem enquanto o Skrillex entrava em palco e de repente começou a música, eu estava impaciente, só pensava “fuck, gastei mais de 80€ neste dia para ver o meu ídolo e estou aqui parado”, alguns festivaleiros aperceberam-se do meu constrangimento até que uma amiga minha disse “Pedro, corre e vai divertir-te, ele é o teu ídolo”, saí da tenda enquanto imensas pessoas mais velhas assobiavam, ignorei a chuva, fui para perto do palco e vibrei com cada segundo do show.

Como já referi num dos parágrafos anteriores, aprofundei algumas relações de amizade, surgiram novos amigos e outros desapareceram, conheci imensa gente em festas, principalmente pessoal estrangeiro em festas de Erasmus, criei laços com 3 estudantes brasileiras que estudaram na minha universidade, são todas elas fantásticas com pontos de vista extraordinários, foi triste ser obrigado a despedir-me no momento que partiram para o seu país de origem mas sei que em breve as irei voltar a ver. Entretanto, ao longo do ano, fiquei surpreendido com relações fortes que nasceram de pessoas que eu pensava que se iriam manter apenas como colegas.

2014 foi magnífico e espero que 2015 seja tão bom, mas para isso se concretizar é preciso lutar, enfrentar barreiras, e jamais desperdiçar nenhuma oportunidade. Agarrem todas as oportunidades, percam a timidez, conheçam gente nova, divirtam-se, não pensem no futuro e evitem pensar no passado e naquilo que deveriam ter feito mas que não fizeram porque tiveram receio, acima de tudo aproveitem cada momento.

Tenham um excelente 2015 🙂

Anúncios

2 thoughts on “Retrospectiva de 2014

  1. Rubia diz:

    Que fixe (hahahaha) Pedro!! Sempre que posso leio suas postagens no blog. Foi maravilhoso ter te conhecido, você é um português muito lembrando aqui no Brasil. Espero ter ver novamente. Feliz 2015!!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s