Fifty Shades of Grey – Crítica 2

Olá a todos, o meu último post consistiu numa crítica ao “Fifty Shades of Grey”, entretanto jamais esperei que a minha apreciação ao filme fosse bastante difundida e discutida nas redes sociais. Por isso, decidi dar a oportunidade a uma grande amiga de expressar a sua opinião sobre o filme no meu blog. Apesar do blog ser na prática uma ferramenta para expressar a minha opinião e tudo o que sinto sobre alguma temática, considerei que devia dar uma oportunidade à cara Bárbara Franco de mostrar a sua opinião.

“Em primeiro lugar quero agradecer ao meu querido amigo Pedro Quintão por ter reservado um espacinho para deixar a minha opinião ao filme.
Foi então, no passado domingo que finalmente consegui ir ver o filme do ano. Desde a sua estreia que as redes sociais, os jornais, as revistas, as televisões e rádios têm sido meios de difusão de duras críticas ao filme. É caso para se dizer que bom ou mau, tem-se falado e muito nele. Penso que por ter colocado milhares de mulheres e homens a ler o livro e mesmo quem não o leu ter ido ver o filme já valeu a pena. Observamos hoje em dia com a maior das naturalidades qualquer mulher a sair da livraria com o livro na mão, a lê-lo em qualquer espaço público e abordá-lo sem qualquer tipo de pudores e assim o deve ser, digo-vos também que se serviu de inspiração às mulheres e ajudou a apimentar relações, então já valeu a pena. Os homens também concerteza abriram a sua mente para um mundo diferente, o mundo das algemas, chicotes, que tanta confusão e preconceito existe ainda à volta do assunto. Acredito que todo o homem terá um pouco de Christian Grey, um homem que para além dos seus fetiches sexuais, apresenta poder, sucesso, luxo, charme, enfim todos os ingredientes que fazem dele algo que pode parecer difícil de alcançar, mas não é.

Todos temos uma opinião diferente e ainda bem, a minha no geral e toda muito positiva. Acho que quando forem ver o filme devem ter bem presente a ideia que estamos perante uma história de amor, é uma história de amor diferente é claro, com particularidades, emoções muito fortes e gostos peculiares à mistura. Acho que cada um deve ver o filme e fazer a sua interpretação. Eu interpreto-o com uma história de amor que combina ingredientes como a ingenuidade, o desejo, o poder, a elegância, a intensidade.
Jamie Dornan conseguiu na perfeição transmitir as características do Grey. Não nos podemos esquecer que todas as mulheres que leram o livro imaginavam na sua cabeça o Grey e acho que o ator conseguiu captar toda a essência da personagem, todo aquele olhar intenso, misterioso, todo o poder. Assistimos a um Mr. Grey que apesar de lutar contra todo o tipo de sentimentos e fugir deles, no fundo tudo o que ele mais precisa é disso, é de amor, e vemos isso no seu olhar, realizado brilhantemente por Jamie. Todas as mulheres procuram um Christian Grey, um homem que por de trás de todo o poder, toda a sua dureza, apresenta as suas fragilidades e no fundo ele precisa também de amar e ser amado, todo o ser humano precisa disso para se completar.
A Dakota Johnson conseguiu captar toda a ingenuidade da Anastacia e interiorizar todo o seu progresso enquanto mulher, tornando-se a cada dia mais forte.

Não nos podemos esquecer que se trata de um filme para maiores de 16, logo não poderíamos esperar cenas de sexo para maiores de 18, assim como nos devemos lembrar que Jamie Dornan e Dakota não são atores pornográficos e portanto todas as cenas de sexo foram realizadas e filmadas com muita elegância e muita classe, estando bem presente a ideia do sadomasoquismo e os gostos singulares de Christian Grey.
Achei o filme bastante sedutor, teve até um certo lado cómico, achei-o sexy sem chocar, não achei de todo um filme chocante. Acho que foi realizado de um forma muito inteligente, souberam aproveitar bem a história. Claro está que o filme não esta igual ao livro, nem nunca poderia estar, trata-se de uma adaptação, de uma inspiração. Optaram por fazer uma abordagem em que suavizaram a ideia original do livro, também não nos podemos esquecer que o filme foi realizado para várias faixas etárias, contudo todo erotismo esteve muito presente.
Quem leu o livro sabe que todo ele foi escrito segundo a perspetiva de Anastacia Steel, sendo que no filme ficamos a conhecer melhor Mr. Grey, conseguimos ter outras visões da história diferentes da que o livros nos oferece.
Não posso deixar de fazer referência a um ponto alto do filme, que foi a banda sonora, que deu intensidade a todas as cenas íntimas, foram todas muito bem selecionadas.
Não quero terminar este meu comentário sem mostrar a minha incompreensão com o facto de associarem a ideia de violação e violência doméstica a um filme como as 50 Sombras de Grey, não aceito, não entendo e não posso discordar mais disso. Para mim sexo consensual entre dois adultos não é violação, acho essa ideia completamente disparatada. Aconselho-vos a ver o filme sim, mas vão com a cabeça livre de opiniões e sobretudo de preconceitos.

Nota: 8.5/10″

Anúncios

One thought on “Fifty Shades of Grey – Crítica 2

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s