Zayn Malik e as fãs psicopatas dos One Direction (IMAGENS CHOCANTES)

Olá Aliens,
Primeiro quero esclarecer que não sou fã nem hater de One Direction, até confesso que gosto de duas ou três músicas deles e que os considero uma banda teenager com padrões de qualidade acima da média, mas há uma algo que considero insuportável: as fãs loucas deles (não me refiro às fãs normais, mas sim ao núcleo de fãs com graves problemas psicológicos).
Como toda a internet sabe, o Zayn Malik saiu da boysband. Inicialmente a notícia apanhou-me um pouco de surpresa porque não estava nada à espera, visto que todos eles estavam no auge comercial e crítico, além disso, como realmente sabemos, todos os membros são importantes para o sucesso de qualquer grupo e basta sentir-se a ausência de um deles para tudo se começar a corromper. Tal como estava a referir no início do parágrafo, de uma forma geral ficamos surpreendidos com a saída de um dos seus elementos, até a minha mãe me disse “Pedro, aquele rapaz daquela banda que todos os miúdos gostam saiu…”, apesar de ser uma notícia chocante para alguns e indiferente para outros, nem todos conseguiram aceitar esta informação da melhor forma. Continuar a ler

It Follows – O filme que te vai deixar com medo de fazer sexo

Hey pessoal, hoje venho falar sobre um filme que está a causar sensação pelos locais que estreia.
Chama-se “It Follows” e tem recebido reviews arrasadoras por parte da crítica especializada, alguns jornalistas e apreciadores de cinema referem que é uma obra totalmente fresh dentro de um género gasto e existem alguns críticos que o aclamam como o melhor filme de terror dos últimos tempos. Eu, como fã da sétima arte fiquei com curiosidade sobre esta produção e decidi informar-me melhor sobre ela. Continuar a ler

Bullying na TV – O caso de Natalia Kills

Hey aliens,
No fim de semana a internet “explodiu” com a notícia de uma cena de extrema humilhação no programa “X Factor” da Nova-Zelândia, em que podemos ver Natalia Kills, um dos membros do júri, a humilhar um jovem concorrente por este estar a vestir um smoking e utilizar gel cabelo, segundo o seu pensamento, ele estava a copiar o estilo do seu marido (até parece que o marido foi o autor desse look clássico criado em meados do século XIX, que estupidez). A cena tornou-se pior quando o marido ridículo decidiu ajudar na “festa” e rebaixou ainda mais o candidato.
Imaginem-se na sua pele a sofrer este tipo de humilhação e saberem que estão a ser vistos pelo país inteiro em direto, é necessário coragem para isto.

Neste vídeo podem assistir à discussão, eu “tiro o chapéu” à postura educada do Joe Irvine, o concorrente, creio que qualquer outra pessoa no seu lugar já a teria insultado de todas as formas indecentes.


Adorei quando o Joe Irvine perguntou se ela estava a imitar a Cleópatra (0:55)

Felizmente a internet não gostou da sua atitude e não tardaram a surgir memes, tweets, posts em blogs e fotos a humilharem-na, estes são alguns dos exemplos:

O único emprego que conseguirá ter depois de arruinar a sua carreira.

Parece que afinal ela se baseou totalmente no look deste personagem de Shrek.

Sem dúvida que a Natalia Kills é uma pessoa repleta de originalidade e de moral para criticar o look de outros indivíduos.

A produção do “X Factor” já se pronunciou e expulsou a Natalia e o seu marido do programa. E desta forma ela arruinou a sua carreira como artista pop, porque apesar de criticar a originalidade, a Natalia é uma cantora que imita imenso outras artistas como Jessie J, Katy Perry ou Lady Gaga.

Na minha opinião, estou bastante satisfeito com toda esta humilhação que ela tem recebido por milhares ou talvez milhões de pessoas nas redes sociais, presumo que desta forma tenha sentido um pouco do seu próprio veneno.

O mundo não tem lugar para bullies.

Life is Strange – O drama interativo que te vai pôr a refletir

Hey pessoal,
Há algumas semanas atrás joguei um videojogo sem saber nada sobre ele, só posso dizer que foi uma das melhores experiências que tive, é sensacional e promete agradar até mesmo aqueles que não suportam videojogos. Quem é que nunca pensou como poderia ser a nossa vida se no passado tomássemos uma decisão diferente? Imaginem onde estariam ou o que seriam agora se fossem estudar para uma escola/universidade diferente, se reagissem de outra forma perante alguém, etc… O jogo irá fazer com que reflitam imenso sobre isso. Continuar a ler

O ciclo das relações

Somos marcados por momentos, sejam eles felizes, extraordinários, tristes, embaraçosos, divertidos e especiais, acima de tudo somos marcados por eles porque são diferentes e se destacam na vida rotineira e enfadonha a que estamos habituados. As coisas melhoram a partir do momento em que estamos com alguém que gostámos, não interessa se essa pessoa é amiga, colega, namorada/o ou até mesmo estranha, todos os momentos se tornam ainda melhores quando são partilhados com alguém.

No início tudo é fantástico, ditam-se promessas eternas, tudo aparenta ser perfeito até a rotina começar a fazer-se notar, surgem divergências e os problemas acentuam-se, as pessoas afastam-se e as amizades terminam, estamos sozinhos num mundo repleto de uma infinidade de seres diferentes mas todos iguais, nada é como antes, sentimos falta das conversas, dos risos, dos diálogos e até das situações em que estivemos fracos e sentimos o apoio de alguém que se mostrava preocupar connosco. Parece ser o fim de tudo mas não é.

Surgem novas personagens no filme da nossa vida. Personagens que antes eram secundárias ou que nem sequer existiam começam a adquirir um papel principal e entretanto outras reaparecem, a tela monocromática volta a ganhar cor, tudo volta a ser como antes. Felizes, magníficos e talvez imparáveis, prometemos que nada vai mudar, que todos os momentos serão eternos, mas a rotina regressa para atormentar, os mais frágeis são os primeiros a vacilar e de repente todos se afastam. Ficámos no meio de uma estúpida guerra entre duas fações que já foram um só, tentámos decidir de que lado combater mas preferimos permanecer fora da linha de fogo e forçosamente observar cada lado a corromper-se, não queremos perder ninguém mas acabamos por perder tudo. Só restam fotografias e memórias de grandes acontecimentos que todos se esqueceram.

Voltámos a estar sozinhos num mundo cheio de gente, até que alguém (re)surge, entendemos que as relações são um ciclo e que tudo voltará a repetir-se mas de diferentes formas mas com novos elementos, as promessas fantasiosas sobre tudo ser perfeito voltam a ser proferidas por diferentes bocas, porém, no fundo sabemos que isto é apenas o início de um ciclo que voltará a repetir-se uma infinidade de vezes.