Queda do Governo: A atual democracia em Portugal

Olá a todos! Este é, provavelmente, o meu post mais curto de sempre.

As fontes de informação anunciaram a queda do governo português, esta tarde.
Utilizo o meu blog como uma ferramenta para treinar a minha escrita e sobretudo para expressar a minha opinião sobre vários assuntos. Por isso, desta vez decidi expôr em poucas linhas, a minha perspetiva sobre a telenovela política portuguesa protagonizada por António Costa, líder do PS.
Nas passadas eleições, em Outubro de 2015, os portugueses elegeram democraticamente “Portugal à Frente”, coligação composta pelos partidos PSD e CDS. Para mim, esta seria a decisão que deveria persistir porque habitámos num país democrata.

“Democracia é um regime político em que todos os cidadãos elegíveis participam igualmente” Fonte: Wikipedia

Infelizmente, António Costa, opôs-se ao conceito de democracia, ignorou a decisão dos portugueses e lutou a qualquer custo pela sua ascensão como primeiro ministro. Toda esta ambição e sede pelo poder que observámos neste político, causa-me um pouco de receio e torna-se impossível, não o comparar a uma menina mimada que não pára de fazer birra até conseguir o brinquedo que deseja (desculpem a analogia).
Espero estar errado e ser surpreendido.

Não quero revelar o meu voto, no entanto, assumo que não votei no PSD, apenas sinto-me revoltado porque torna-se injusto os portugueses terem eleito um partido político e observarem a sua decisão rejeitada.
Tal como referi acima, somos cidadãos democratas, somos nós que elegemos o futuro da nação, mas será que podemos continuar a assumir que vivemos num país democrata?

Edit: Peço desculpa pela fraca qualidade do post, mas deparei-me na obrigação de o escrever em 5 minutos. 🙂